quarta-feira, 13 de abril de 2011

Início: as veredas

Como em "Grande Sertão: Veredas" (1956) de Guimarães Rosa gostaria de narrar minha história com o ProUca no Piauí. Nesse sentido, situo-me como narradora protagonista, contando minha história pessoal e profissional e tecendo um  discurso de descoberta e autoconhecimento com as Tecnologias da Informação e Comunicação, a qual foi iniciada como professora de Geografia quando já fazia uso desses recursos como ferramenta pedagógica.
Nessa travessia, confronto as forças das minhas intenções e as diversas visões de mundo de outras personagens quando se trata dessa questão. Assim, retomo  o fluxo de minha memória, o fio de minha vida para narrar as grandes lutas travadas enquanto profissional para que as TICs sejam utilizadas para a melhoria da qualidade da Educação.
Quando me ponho diante do Programa Um Computador por Aluno - ProUca, vejo-me diante de um novo desafio, lidar com o príncipe (Hermes) que se incomodou com as faixas que o cobria, o qual se sentia preso - laboratórios de informática - para andarilhar com crianças, jovens e adultos (alunos, professores, pedagogos e gestores).
Com esse propósito construo meu Diário de Itinerância da Formação: ProUca no Piauí. Conforme Barbier (2002), reconheço e registro minha itinerância de aprendizagem para compartilhar meus dilemas e saberes com os demais participantes e formadores do ProUca/UFPI, bem como outros itinerantes da internet/web.
Nesse sentido, edifico minhas construções narrativas a partir de itinerários como: as veredas (início) nas quais exponho meu percurso estruturante da formação, o cenário (as instituições formativas, os professores, pedagogos, gestores, formadores) em que estão sendo implantadas e implementadas o ProUca, apresentando de forma breve o programa no estado do Piauí, as narrativas da formação onde são mostradas as proposições formativas e as atividades realizadas, a travessia: saindo para novas conquistas em que são concretizadas a pedagogização da escuta, discussão sobre os aspectos filosóficos, sociológicos, pedagógicos e metodológicos da inserção do laptop educacional na rede pública de ensino, as reflexões e divagações da formanda e formadora que anota o que sente, pensa, medita e constrói para dar sentido à vida pessoal e profissional e as referências que dão suporte às ideias apresentadas na itinerância.

Nenhum comentário:

Postar um comentário